Biocorrosão

Lesões de Biocorrosão que atingem dentes e gengiva

Inflamações, sangramentos ou inchaços são apenas etapas de um processo que pode gerar desde a retração gengival, até a perda do dente. Ao perceber sua gengiva diminuindo, o paciente está literalmente sentindo na pele os efeitos das lesões de biocorrosão, afinal, a gengiva é a primeira vítima do problema. Suas causas são diversas e as consequências também, vamos à elas?

O que causa a biocorrosão?

– Escovar os dentes de forma errada:

A tração aplicada à escova de dentes durante a escovação, ou seja, escovar os dentes com muita ou pouca força, é um dos erros mais comuns que podem ser determinantes para que ocorram lesões de biocorrosão.

Quando se escova os dentes com força além do necessário, machucamos a gengiva, e muitas vezes estas lesões provocam sua retração. Já quando não aplicamos a força adequada para menos, a escovação não têm a eficiência necessária, e a sua função soberana de manter a saúde bucal é deficiente, gerando formação de placa bacteriana, tártaro e cáries, principais causas de biocorrosão.

Escovar os dentes na hora errada:

Qual a hora certa para escovar os dentes? Logo após as refeições, certo? Errado! Praticamente 100% dos pacientes vão ao dentista com essa concepção errada sobre o horário da escovação, e acabam sendo surpreendidos com a informação que estavam escovando os dentes na hora errada.

Guarde esta informação importante: é preciso esperar que a acidez da boca diminua antes de escovar os dentes, e para isso o tempo necessário é de, em média, 30 minutos. Escovar os dentes logo após as refeições, é agredir sua gengiva com uma higiene oral realizada enquanto a boca ainda está com ph bastante ácido.

Escolher a escova de dentes errada:

O tipo de escova de dentes, bem como a maciez das cerdas, se escolhidas de maneira errada, podem ser outro fator agressivo para a gengiva, provocando lesões. Com relação à escova de dentes, outro esclarecimento muito importante é que, além de escolher a escova ideal, é preciso saber a hora certa de trocar a escova de dentes. É fundamental adquirir uma nova escova de dentes, antes que ela comece a provocar lesões na gengiva, bem como para que faça a higiene correta dos dentes.

Má oclusão (mordida incorreta) e Bruxismo:

A oclusão é o que os pacientes chamam de mordida. A má oclusão gera um estresse em toda a arcada dentária, e a tração com o tempo provoca lesões na gengiva. Os hábitos parafuncionais como o bruxismo, quando não corrigidos, são inimigos silenciosos das gengivas, e muitas vezes com procedimentos simples e rápidos podem evitar grandes perdas de tecido gengival, e consequentemente, tecido ósseo.

Roer as unhas (Onicofagia):

Muitas pessoas nem imaginam, mas o hábito de roer as unhas é fonte de problemas dentais e nas gengivas. Isso por conta do posicionamento dentário ao morder, que causa reabsorção óssea dos dentes superiores anteriores.

Alimentos e bebidas ácidas:

O nome biocorrosão já fala muito por si, e no caso da ingestão de alimentos e bebidas ácidas, o ação negativa na gengivas é exatamente essa: a corrosão. Ao consumí-los, a acidez em suas composições provoca danos às gengivas implacavelmente.

Tabagismo:

Os malefícios do cigarro para saúde em geral são inúmeros, e a cada tragada o fumante é cúmplice de agressões em praticamente todos os órgãos de seu corpo, porém, em todo seu caminho de males, a boca é sua porta de entrada.

Os prejuízos mais conhecidos do cigarro são com relação à cor dos dentes, mas esta é apenas a ponta do iceberg, e muitos outros parágrafos seriam necessários para conversarmos sobre estes malefícios. Já com relação à gengiva, o cigarro provoca inflamações a vasoconstrição gengival o que fragiliza toda a defesa da região.

 

Problemas dentais e gengivais ocasionados pela biocorrosão:

 

– Problemas Estéticos:

A construção de um belo sorriso vai muito além da beleza dos dentes, e a estética das gengivas é indispensável para conquistar um sorriso perfeito. Ao sorrir, é impossível esconder uma gengiva que não está saudável, e este é o problema mais visível que a falta de cuidados com a gengiva pode causar: a aparência. (foto do carlinhos em CEREC)

– Sensibilidade dentária:

A retração da gengiva além de prejudicar a estética do seu sorriso, pode trazer dor e desconforto, consequência da sensibilidade dentária. Ao perder tecido dentário e gengival, a dentina fica exposta ao toque e aos agentes químicos e térmicos, e por ser uma estrutura rica em terminações nervosas, a sensibilidade e dor são inevitáveis. A gengiva e o esmalte funcionam como um escudo para a dentina, e ao sofrer biocorrosão, o tecido gengival perdido deixa de protege-la.

 

É importante lembrar, que nos casos de sensibilidade dentária por conta de lesões de biocorrosão, o uso de cremes dentais para dentes sensíveis não é o melhor caminho a ser tomado, pois age apenas no efeito e não na causa, apenas controlando a dor, sem solucionar sua origem: a exposição da dentina. (transitório)

 

– Perda de dentes:          

A perda de gengiva por si só não causa diretamente a perda do dente, mas é parte do processo de perda óssea, principalmente quando acompanhada de inflamação da gengiva. Para entender esse processo é simples, basta perceber que quanto menor for o tecido gengival, mais ameaçada será a raiz do dente, e consequentemente, maior o risco de perdê-lo.

Soluções para a biocorrosão

 

Todo o problema da biocorrosão gira em torno da gengiva retraída (perdida), e onde ela já não existe mais, é possível o enxerto com tecido gengival de outro local, ou o preenchimento do espaço com material restaurador em resina. Vamos falar um pouco mais sobre estas duas opções de tratamento.

– Enxerto Gengival

 

Como o próprio nome já diz, o enxerto gengival é a retirada de tecido gengival de um local para aplicação em alguma região deficiente de gengiva. Apesar de rápido e de boa cicatrização, este procedimento é delicado e exige muito dos conhecimentos do dentista.

 

As regiões onde geralmente se faz a coleta de gengiva são: palato (céu da boca), entre um dente e outro e após os molares.

 

– Resina Gengival (deixar o dente mais longo)

É possível também utilizar as resinas para preencher – de forma artificial – um espaço vazio de gengiva. Existem no mercado odontológico diversas resinas na cor vermelha ou rosada, que simulam uma gengiva natural e que podem gerar resultados extremamente satisfatórios em casos de perda gengival.

 

O procedimento é realizado com o mesmo objetivo do enxerto gengival, conter a biocorrosão, a retração gengival e solucionar a sensibilidade dentária ao cobrir novamente a dentina exposta.

 

– Qual a melhor opção: Enxerto Gengival ou Resina Gengival?

 

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Dentista em Fortaleza