Pino Estético

Quando ocorre severa degradação do dente, seja por trauma ou após grandes danos ocasionados por cáries e o consequente tratamento de canal, é possível que a parte visível do dente (que chamamos de coroa) esteja totalmente comprometida, ao ponto de ser necessária a remoção da parte do dente. Apesar da perda da parte exterior, muitas vezes, a raiz dentária ainda pode ser preservada, e o implante dentário que serviria de raiz artificial para uma nova coroa, pode ser dispensado.

 

O pino estético, é nos dias de hoje a melhor opção de união entre a raiz do dente natural preservada e a nova coroa dentária produzida em laboratório, seja em porcelana ou resina. Este pino é o elo de ligação entre a raiz preservada e o trabalho protético, e o sobrenome “estético”, se deve ao material de sua composição, uma fibra na cor do dente, o que evita que ocorra o escurecimento da raiz dentária, o que era muito comum nos pinos de antigamente, que utilizavam metal (níquel e cobalto) em sua composição, o que além de denunciar que o dente não é natural, é uma ameaça a própria raiz natural do dente, o que veremos a seguir.

 

Além da aparência escurecida da raiz por conta da oxidação, há também outro problema grave que os pinos metálicos podem causar: a fratura da raiz natural, ou até mesmo sua perda definitiva. Isso ocorre por conta da rigidez do metal ser maior que da própria raiz, ou seja, o metal é mais resistente aos choques, fazendo uma espécie de alavanca, empurrando todo o impacto para o lado mais frágil: a raiz natural do dente. Uma vez perdida a raiz por conta disso, somente um implante dentário poderá das sustentação à coroa.

 

Antigamente, acreditava-se que pelo contrário do que acabamos de conversar, o pino metálico não trazia nenhuma ameaça para a raiz, e havia uma falsa impressão que o mesmo dava mais sustentação e resistência a raiz, quando na verdade, este feito de alavanca nos mostra que não há proteção para a raiz dentária, e sim uma sobrecarga, e é justamente esta uma das duas grandes vantagens dos pinos estéticos de fibra. Sendo mais maleável que o metal, a fibra faz o caminho inverso da alavanca, diminuindo o risco de perda da raiz natural do dente.

 

– Porque escolher os Pinos Estéticos?

 

Se seus dentes estão comprometidos, e ainda for possível evitar a realização de um implante dentário, através da preservação da raiz natural deste dente, você irá precisar de um pino sustentar a coroa.

 

Somente os pinos confeccionados em fibra poderem ser considerados pinos estéticos, e é este o primeiro ponto a ser considerado em sua decisão, pois por serem da mesma cor da dentina humana, não denunciam a existência de uma prótese. Além disso, os pinos metálicos sofrem com a ação do tempo e oxidando, deixando a raiz do dente escurecida e uma aparência desagradável.

 

Se você busca beleza para seu sorriso, o nome pino estético já diz tudo, e já motivo suficiente para sua escolha, mas se você ainda não está convencido, vale a pena lembrar os aspectos relacionados a preservação da raiz natural do dente, e a ameaça que a dureza superior do pino metálico representa. Em nome da beleza e saúde do seu sorriso, escolha primeiramente manter a raiz natural de seu dente, e em seguida o pino estético para dar sustentação ao trabalho protético.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Dentista em Fortaleza